segunda-feira, 3 de abril de 2017

tcc felling

no futuro, o nada
no presente, o tudo
tudo em uma tromba d'água
 ou numa avalanche
que soterra e me afoga
no enorme
e interminável
mal estar.


sábado, 1 de abril de 2017

Não mendigarás

Querido diário, hoje o dia não amanheceu ensolarado... são os dias de outono: cinzas, nublados, sem flores ou cor. Eu dormi tarde e acordei bem cedo, a ansiedade me habita, como um monstro que faz do meu coração sua cama elástica, ou como uma festa de adolescentes inconsequentes, dentro do meu estômago. Não entendo muito bem qual foi a folha que caiu que desestruturou meu mundo, que tirou os planetas da órbita... que me jogou de volta no chão da realidade....

Querido diário, ontem o dia me fez lembrar das minhas caminhadas, das minhas inseguranças e de o quanto a vida pode ser surpreendente; de como, em um giro da Terra, as coisas se modificam.Ainda tenho a certeza que nada acabou, mas me relembrei que tenho que apertar meu cinto de segurança, porque a minha viagem é e sempre foi turbulenta... Mas se hoje eu me resguardo é porque amanha eu vou voar!

Querido diário, as vezes eu sinto que eu to ficando louca, e que nada nessa vida faz sentido... de que tudo são pequenos refúgios que nos levam para matrix. Mas eu sou forte, sempre fui, nunca enlouqueci... mas sempre bebi muito, todos os dias. E a fumaça tóxica, nesses que dias que chove, deixa a minha tristeza poética - ou menos patética. Não sei mais o que estou falando, só quero viver em paz...

Querido diário, nesses dias de merda, es o que nunca posso esquecer: o meu único mandamento, que aprendi a custo de muita porrada na vida amorosa... Não mendigarás! 

ana carolina~~

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Onde deságua o mar?

Onde deságua o mar? Nas letras e palavras, nas notas e canções, nos braços e abraços... de quem? O vento está forte, a maré revolta e eu só tenho minhas raízes para me sustentar. Meu corpo e cabelos voam, quebram, se deterioram. Mas eu ainda estou firme no chão.
Onde deságua o mar? Pra onde ele vai quando está cansado, triste e sozinho? A maré abaixa e o sol fica forte, só tenho um pouco de água para me molhar. Queimo minha pele, seco, enrugo, murcho. Mais eu ainda estou firme no chão.
Onde deságua o mar? O rio corre, se faz cachoeira, se faz rio, banha e refresca, corre por curvas e retas e deságua o mar... Quando solitários sentamos, desaguamos no mar. Nos acidentes e nos pedidos, é ano novo, é dia de santo, desaguamos no mar.
E onde deságua o mar quando o fardo da vida fica pesado? Quando só se precisa pegar folego para continuar andando? Pra onde vai as suas lágrimas, e as lágrimas do mundo? Pra onde vai? Pra onde poderia ir? Quem quer suportar a sua dor?

Peito aberto, rasgado, dilacerado...

[ana carolina~~]

"na lua triste no céu, meu bem. Triste no mar."

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Luta de classes - It's Time!!

( Round 1)
São as contas que instem em chegar,
é a roupa que sempre tem que estender,
o remédio que não tem dinheiro para comprar!
Usamos o crédito
Vendemos nossa alma para a abstração.
É a bolha financeira...
que estoura em você!
(Round 2)
E o presidente vem na TV te contar
que o ajuste só vai te foder...
do remédio que não podia comprar
vai passar para a saúde, que não vai mais te atender!
O lucro do burguês não pode parar,
e você não pode esquecer... o presente!
dia dos namorados,
crianças
natal
Tem que enfeitar as janelas, sorrir e desejar um ano novo
Novo pra quem?
Mês que vem tem mais contas
o ano não muda!
(Round 3)
A luz aumenta.
Faltou água?
Acordar de madrugada tentar vaga na escola
No ínicio do semestre: ocupação, greve,
isso você não vê na TV
Filho de rico faz faculdade
Pra você mais uma louça na pia.
A unha fica feia
no padrão não cabe mais você,
Mas no quartinhos do fundo... sim!

FATALITY 

Um soco rasgado na cara
cada dia é uma porrada diferente
Mas o luta ainda não terminou.

(5,4,3,2...)
TO BE CONTINUE 
[ana carolina cantuaria]


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

domingo, 6 de novembro de 2016

Anunciação

Se envolver pode ser uma tarefa muito complicada, mesmo sendo tão fácil realiza-la. Deixar o outro te tocar na alma, te ver nua, desprotegida, com todas as bizarrices e feridas.
Se envolver é permitir - e ser permitido - adentrar em outro corpo... de um ser tão estranho, tão diferente e ao mesmo tempo tão doce e amável; sentir as suas dores, seus anseios, alegrias e belezas.

Se envolver é se sentir responsável pelo outro. Entregar-se sem medo ao desconhecido, aos beijos ardentes, aos dedos quentes.. deixar a sua pele tremer. É contorcer, arrepiar, gemer pelo simples toque dos lábios no pescoço. Se envolver é enfrentar as inseguranças de mãos dadas. É cair no abismo
Aceitar o pedido. e permitir-se amar, mais um vez.


[ana carolina~~~]

sábado, 6 de agosto de 2016

Janaina.

Oceano profundo, intenso, turvo e revolto. Oceano que carrega os navios em suas correntezas, mas que em suas sutilizas coleciona amantes. Reflete a lua, e brilha a luz solar. Ele sou eu e eu sou ele. Tempestiva, silenciosa, funda, salgada. Carregada de lagrimas, conchas e mistérios.
Ele vira mar, beija o solo, afaga os grãos de areia. Chega e toca os pés, junto com a brisa, maresia, pequenos beijos sobre o corpo daqueles que o contemplam,e permitem se tocar. 
Da costa, se vê o horizonte flertando com as nuvens, tocando o céu, instalando o infinito. Eu sou o quinto elemento, tocada em todos os meus sentidos, íntimos e descobertos. 
Misturo meus sentimentos em letras, e confundo a realidade me afogando no mar. E eu ainda não sei amar, ou amo sem saber nadar, e me afogo. Me jogo do penhasco, tenho certeza que o oceano, sem fim nem começo, me salvará. 

[ana carolina~]